Estudo 162 

Leitura: Deuteronômio 5: 7, 9.

Base Bíblica: Atos 17: 16-34

Objetivo da lição: O estudante, por meio deste estudo, saberá que, o culto oferecido a alguém ou a alguma coisa além de ao Verdadeiro Deus é idolatria.

1) A igreja de Deus (7º dia) crê que: O culto deve ser atribuído com exclusividade ao Pai Eterno e a Seu Filho, e que oferecido a alguém ou a alguma coisa além deles, é idolatria. (Deuteronômio 6: 13; Romanos 1: 25). Para Israel ficou muito bem compreendido que idolatria era a adoração atribuída a deuses distintos, além de YHVH, o Verdadeiro Deus (Deuteronômio 10: 21), por meio de imagens ou praticas tomadas de cultos alheios, quer dizer, de povos pagãos. Para a igreja de Deus (7º dia) como já deixamos claro acima, a idolatria é o culto oferecido a qualquer criatura ou objeto além de ao Verdadeiro Deus. Ao Pai Eterno ou a Seu Filho. Também é idolatria, quando o homem satisfaz seus caprichos pessoais, carnais e não se sujeita aos desígnios do Pai, o que é egoísmo, colocando-se no lugar de Deus (Colossenses 3: 5).
Perguntas
:O que diz a igreja de Deus (7° dia) sobre idolatria? O que era compreendido por Israel? Explique idolatria como ensinado pela igreja de Deus (7º dia)? O que também é idolatria?

As diferentes manifestações da idolatria

2) No povo antigo do Egito, os deuses foram representados por animais como o boi e o falcão, ou com a forma humana, mas com traços e características de animais, como por exemplo um homem com cabeça de lobo ou de touro. Também tiveram como deus o crocodilo do Nilo, rendendo-lhe culto, da mesma ao Faraó, seu rei, divinizando-o como deus. Igualmente na Mesopotâmia, mesmo que naquela região, os ídolos com forma de animal não fossem encontrados com tanta facilidade, utilizavam as formas humanas feitas de madeira e cobertas de ouro, como em Canaã e muitos outros povos da terra. 
Perguntas
: Como representavam os Egípcios os seus deuses? E na Mesopotâmia? 

3) A adoração de espíritos, que era a religião dos povos que ocuparam o Crescente Fértil, é outra manifestação de idolatria. Esses povos creram e assim manifestaram, que esses espíritos controlavam as forças da natureza e eram representados por objetos simbólicos ou imagens que segundo aquelas crenças, estavam ligados aos espíritos de seus possuidores (Panteísmo).
As oferendas aos ídolos e o sacrifício de crianças é outra forma de culto idolátrico que comumente os povos da antiguidade praticaram, e que o Senhor condenou categoricamente por meio dos profetas quando Israel caiu nessas praticas. (Miquéias 6: 7, 8; 1Coríntios 8: 10; 10: 28; Apocalipse 2: 14).

Perguntas
: Como criam os povos que ocupavam o Crescente Fértil? Como eram representados esses espíritos? Que outro tipo de idolatria era praticado na antiguidade? De que forma reagiu o Senhor?

A idolatria na atualidade

4) Como na antiguidade hoje podemos ver a idolatria não somente nas religiões mas também ramificações desta na vida social, mesmo nas nações tidas como mais avançadas, cultural, cientifica e tecnologicamente. Na antiguidade somente uma parte, da vítima sacrificada aos ídolos era oferecida a estes nos templos, o que sobrava se comia em um banquete ritual nos átrios dos templos pagãos, ou nas casas onde o ofertante recebia os seus convidados. Em certas ocasiões estes eram pobres e comiam gratuitamente e quando sobrava era vendida nos mercados públicos. Esse fenômeno social se converteu em problema para os cristãos primitivos (1Coríntios 8: 1). 
Perguntas
: Onde hoje também encontramos a idolatria? Como eram os sacrifícios na antiguidade? O que se converteu em problema para os primitivos cristãos?

5) Esse fenômeno continua ocorrendo hoje em dia, o que pode provocar em um irmão um dilema, e o problema pode ocorrer quando se desconhece se tal alimento foi oferecido em honra de algo ou de alguém, como a carne de touros oferecida a um ídolo e que esteja a venda no mercado, ou por causa de um bolo ou comida de aniversário, quando o crente é convidado por um familiar ou até mesmo por um irmão que não é temente a Deus (a come-lo, mesmo que não tenha ido a festa), e dessa maneira poderemos estar participando, desconhecendo que tal alimento ou comida em sua origem teve esse propósito, mesmo sabendo que não iríamos a um banquete em honra de um ídolo, ou a um templo pagão, ou mesmo a uma festividade natalícia ou do mesmo gênero.
Pergunta
: De que forma isso continua ocorrendo hoje?

6) Temos que levar em conta que mesmo na igreja, encontramos irmãos que interpretam erroneamente as Escrituras quando essas falam da “liberdade” que temos no Senhor Jesus Cristo para saciar sua luxuria e apoiar-se biblicamente nisso (1Coríntios 6: 12; 10: 23). Outros crendo saber ou possuir conhecimento, alegam a favor de sua maldade, com relação ao que afeta e ao que não afeta ao espírito, comer isso ou aquilo, dizendo: “sabemos que o ídolo nada é”, ao que o apóstolo Paulo responde que o conhecimento envaidece e que o problema de idolatria não e uma questão de conhecimento (1Coríntios 8: 1-4).
Perguntas
: O que temos que levar em conta? Como agem alguns? O que diz Paulo sobre isso?

7) Outra argumentação, de algumas pessoas que frequentam a igreja, é que temos que nos fazer fracos entre os fracos, mas sem dúvida, o escritor sagrado quando escreve isso, não está endossando ou ignorando o mal. Outro caso são as festas ou diversões em honra de ídolos, como o caso dos jogos de computador. Nas festas que são praticadas em homenagem ao patrono ou santo de cidades ou lugares, e que o jovem ou criança, ou ainda aquele que é fraco na fé, olhando apenas para o aspecto social ou de diversão, não leva em conta o porque dessas atividades e o aspecto espiritual para a sua vida. 
Perguntas
: O que argumentam alguns? O que pode ocorrer ao jogarmos jogos de computador? O que devemos observar com relação às festas?

8) Quanto a essas questões ou assuntos abordados acima, é muito importante que o crente verdadeiro leve em conta que o espiritual é mais importante  que o social, que não há de comprometer sua relação com o Senhor e sua santidade por um momento de diversão ou por ficar bem com um familiar ou amigo, além do mais é muito importante o testemunho que devemos dar aos familiares e aos estranhos, principalmente àqueles que começam a conhecer o evangelho e aos que são fracos na fé, mas que frequentam a nossa igreja (1Coríntios 10: 14-33)
Perguntas
: O que deve levar em conta o crente verdadeiro? Como deve agir o verdadeiro crente quanto a essas questões?

A idolatria diante dos olhos do Senhor

9) Já dissemos que o Senhor deixou muito bem explicado ao povo de Israel, na antiguidade, o que era a idolatria, o que para nós, com os ensinos do NT, ficamos bem mais esclarecido desse ponto. Deixemos então bem definido que a idolatria perante nosso Deus e Pai:

a)   É abominação, quer dizer, sendo o Altíssimo santo em plenitude, perfeito, não tolera o pecaminoso, o que o aborrece, detesta, e havendo nós sido chamados a sermos igualmente santos, temos também que ter a capacidade de identificar todo indicio de idolatria, de ter a vontade e capacidade de reprovar e abominar todo o pecado, pois de outra maneira seremos também rejeitados por Ele (Deuteronômio 7: 25, 26);

b)   É causa da ira divina. Todo aquele que é pecaminoso e que ao Senhor aborrece, trás como conseqüência Sua rejeição e raiva (Deuteronômio 32: 41), dessa maneira se cairmos em idolatria, a consentirmos ou a desculparmos, nos tornaremos credores de Sua ira (Romanos 1: 18-32);

c)   É uma provocação a Sua Divindade. É atentar contra O Todo Poderoso, pois é uma ofensa iguala-lo com o que nada é, atribuindo-lhes, o homem, a natureza e o caráter de Deus. (Isaías 42: 8; Jeremias 8: 18-22; Romanos 1: 23-25).

A veneração a heróis, antepassados e a santos é uma herança do paganismo. A idolatria é uma degradação do estabelecido, e não uma fase primitiva superada, como alguém pode ter expressado.
Perguntas
: O que nos deixa mais esclarecidos com respeito à idolatria hoje? O que quer dizer que o pecado é abominação ao Senhor? De que forma podemos nos tornar credores da ira divina? O que é uma provocação a Sua divindade? O que é uma herança do paganismo?

Escola do Ministério 
Igreja de Deus (7º dia)  em São Paulo