Estudo 150

Os dons extraordinários de Deus (dons do espírito santo) e o fruto do espírito santo de Deus são similares no aspecto em que qualquer dom extraordinário ou qualquer fruto tem uma fonte somente: Deus. Porém, as diferenças entre os dons extraordinários e o fruto do espírito santo de Deus são vastas e importantes. É edificante conhecer quais são as diferenças. As diferenças são evidentes quando considerado a manifestação, a duração, o proveito, o recebimento e o propósito dos dons extraordinários em relação ao fruto do espírito.

A Sua Manifestação

1) Os dons extraordinários podem ser imitados e até recebidos por incrédulos mas o fruto do espírito santo é manifesto somente por quem tem Cristo verdadeiramente. Nisso, os dons são inferiores ao fruto.
Judas, aquele que traiu Jesus, era um dos doze discípulos. Ele recebeu, igualmente aos outros, “poder sobre os espíritos imundos, para os expulsarem, e para curarem toda a enfermidade e todo o mal” (Mateus. 10:1). A bíblia não afirma se Judas praticou ou não os dons que ele havia recebido (Lucas. 9:6). Porém ele foi determinado a ser “um diabo” (João 6:70), um “ladrão” (João 12:6) e “filho de perdição” (João 17:12). Judas foi manipulado por Satanás a entregar o Santo e Inocente Jesus (João 13:2). Cristo não guardou Judas até o fim (João 13:18; I João 2:19; Atos 1:25). Por Judas ser “um diabo” podemos concluir que os dons extraordinários podem ser manifestos por incrédulos.
Perguntas
: Em que são inferiores os dons do espírito ao fruto do espírito? O que recebeu Judas? O que prova Judas ter recebido os dons?

2) A Balaão foi revelada a palavra do Senhor pessoalmente (Números 22:10-12). O espírito santo veio sobre ele capacitando-o a falar uma profecia verídica (Números 24:2-9), uma evidência de dom extraordinário. Porém, Balaão era um adivinho (Josué 13:22), que era comprado para fazer a vontade dos ímpios em amaldiçoar a Israel (Deuteronômio 23:4; II Pedro 2:15; Judas 1:11) e ensinou o povo de Deus a cometer fornicação (Apocalipse 2:14). Mesmo este conhecendo o espírito santo, e tendo os seus olhos abertos (Números 24:3), Deus não o ouviu (Deuteronômio 23:5,6) e morreu pela espada do povo de Deus (Número 31:8; Josué 13:22). Por Balaão ser um adivinho declarado e alguém que era um exemplo de tropeços e abominações (Apocalipse 2:14), de engano (Judas 1:11) e de erro (II Pedro 2:15) mas um que recebeu a Palavra do Senhor pelo espírito santo, podemos concluir que os dons extraordinários podem ser manifestos por incrédulos.
Pergunta
: O que fez Balão e por intermédio do que? O que era Balaão? Como morreu Balaão?

3) Falsos cristos e falsos profetas podem imitar os dons extraordinários de sinais e prodígios (Mateus 24:24) e os dons de profetizar, fazer curas e falar ousadamente ao ponto de convencer uma multidão (Apocalipse 19:20). Mas, apesar da grandeza dos convincentes sinais e prodígios que estes farão, ainda são falsos cristos e falsos profetas. Mesmo que Deus permitisse tais obras, não é prova que são do espírito santo. Pela evidência destes muitos a manifestarem obras similares aos dons extraordinários, podemos concluir que nem todo sinal e prodígio é de Deus e nem todos que os fazem são Cristãos.
Perguntas:
Quem pode imitar os dons espirituais por meio de sinais e prodígios? O que seriam esses prodígios? O que podemos concluir por isso?

4) Janes e Jambres resistiram o homem de Deus; eram homens encantadores e sábios nos meios mundanos. Eles eram homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé (2Timóteo 3:8). Mesmo assim eles imitaram alguns sinais e alguns dos dons especiais dados por Deus a Moisés para provar que a sua missão era de Deus (Êxodos 7:10-22; 8:5-7). Por homens corruptos conseguirem operar sinais e dons especiais podemos concluir que nem todo sinal ou prodígio é do espírito santo. Nem podemos afirmar que somente são os verdadeiros que podem fazê-los.
Perguntas
: O que fizeram Janes e Jambres? A que conclusão podemos chegar?

5) Expulsar demônios em nome de Cristo, profetizar em nome de Cristo e fazer muitas maravilhas no nome de Cristo são evidências dos dons extraordinários dados aos discípulos (Mateus 10:1,8; Atos 4:30). Porém, esses dons extraordinários podem ser operados também por aqueles que não são de Deus (Mateus 7:22,23; Lucas 13:26,27). Nem todos que fazem maravilhas receberão a vida. Existem os que praticam os dons extraordinários e que praticaram iniqüidade. Por existir a possibilidade de ímpios expulsarem demônios e fazer outras maravilhas, podemos concluir que os dons extraordinários do espírito santo podem ser manifestos pelos incrédulos.
Perguntas
: Quais dons foram dados aos discípulos? Podem esses dons ser operados por aqueles que não são de Deus? Por praticar os sinais e maravilhas significa isso que esse alguém é um salvo? Por que? A que conclusão chegamos?

6) Porém, o fruto do Espírito Santo é diferente dos dons do espírito santo. O fruto é somente do espírito santo e nunca é imitado ou vem de qualquer outra fonte. O fruto verdadeiro do espírito santo é exclusivamente para os que são chamados eficazmente por Deus ao arrependimento e à fé em Cristo (Atos 2:38,39). São estes que têm uma nova natureza pela regeneração (Tito 3:5-7). Somente os que têm o interior mudado pela regeneração podem ter o fruto da nova natureza santa que é do espírito santo.
Perguntas
: Por que o fruto do espírito é diferente dos dons do espírito? Para quem é o fruto do espírito?

7) Pelo fruto do espírito santo ser somente de Deus, Jesus ensinou que conhecemos uma árvore pelos “frutos” (Mateus 7:20). Tiago ensinou a mesma verdade dizendo que de um mesmo manancial não vem água doce e amargosa (Tiago 3:11). A figueira não produz azeitonas, nem a videira figos (Tiago 3:12; Mateus 7:16). Os dons extraordinários podem ser exteriorizados até por incrédulos, mas o fruto vem somente do espírito santo que o produz no coração do Seu povo.
Perguntas
: Pelo que o verdadeiro cristão será conhecido? O que ensinou Tiago? O que pode ser imitado por incrédulos? E o fruto do espírito?

8) Temos a instrução de provar a todo o espírito (I João 4:1). A prova não é pelos prodígios que podem ser manifestos, pelas profecias que podem ser declaradas, pela companhia que alguém pode ter ou pelas curas que podem ser efetuadas. A prova é pelo fruto. O fruto correto é uma vida dirigida pela doutrina bíblica (I João 4:2,3). Tendo uma vida conforme a sã doutrina, em espírito e em verdade, é prova suficiente que alguém é de Deus. A vida obediente à doutrina será uma vida em conformidade ao obediente Jesus. Essa é uma prova divina que alguém é de Deus (Romanos 8:29). Verdadeiramente, pelos “frutos”, e não pelos dons extraordinários, os verdadeiros são conhecidos (Mateus. 7:20).
Perguntas
: Que instrução recebemos? O que não é prova de ser de Deus um espírito? O que prova? Qual é o fruto correto? O que é prova suficiente para se saber que alguém é de Deus? O que será uma vida obediente à doutrina? Pelo que então serão reconhecidos os filhos de Deus?

9) Pela possibilidade dos dons extraordinários serem manifestos até pelos incrédulos (não provindos de Deus), e pela singularidade do fruto do espírito santo ser somente com os em Cristo podemos destacar uma grande diferença dos dons extraordinários do fruto do espírito santo. Podemos concluir também que o fruto do espírito santo é “mais excelente” do que os dons extraordinários (1Coríntios 12:31-13:13). Lembre-se o amor é um dos frutos do espírito.
Perguntas
: Por que podemos destacar ima grande diferença dos dons espirituais do fruto do espírito? O que podemos concluir?

A Sua Duração

10) É edificante examinar a diferença da duração dos dons extraordinários com a duração do fruto do espírito. O que é eterno é maior e melhor do que é temporário. Por ser melhor o eterno somos exortados a ajuntar nossos tesouros no céu (Mateus 6:19,20). Com o único propósito de superar as necessidades das igrejas apostólicas foram dados os dons extraordinários de sinais (línguas, milagres, curas, etc.) e de profecia (revelação direita à parte da Bíblia). Por causa de uma necessidade temporária entendemos que eram para o tempo apostólico somente. (na continuação desse estudo estaremos vendo biblicamente o porque dessa nossa afirmação)
Perguntas
: O que é edificante examinar, por que? Com que propósitos foram dados os dons do espírito? Por que entendemos que eram somente para o tempo apostólico?

11) Jesus prometeu que o espírito santo seria enviado em seu nome da parte do Pai para ensinar aos apóstolos “todas as coisas” (revelação completa) e faria com que os apóstolos lembrassem “de tudo” quanto Jesus os tinha dito (inspiração) – João 14:26; 15:15. No dia que os apóstolos receberam “todas as coisas” e foram lembrados de “tudo” pelo espírito santo, tanto a revelação quanto o tempo necessário desses dons extraordinários de profecia, dos sonhos e das visões se completaria (1Coríntios 13:10). A duração dos dons extraordinários de profecia seria até completar o seu propósito.
Pergunta
: O que prometeu Jesus aos seus apóstolos e discípulos no primeiro século? O que seria lembrar tudo o que o Senhor lhes tinha dito? Até quando durariam os dos do espírito?

12) Os dons extraordinários de sinais (línguas, milagres, curas, etc.) foram úteis para confirmar o ofício de apóstolo (2Coríntios 12:12), que a sua mensagem era de Deus (Marcos 16:17 (lembramos que esse versículo não consta dos manuscritos mais antigos); 18,20, “confirmando a palavra com os sinais que se seguiram”; Hebreus 2:3,4), e para colaborar que os apóstolos pregarem o Evangelho (Romanos 15:18,19). Com a revelação estando completada, a necessidade dos dons extraordinários de sinais foi aniquilada (2Coríntios 13:10). Tendo a revelação completada sabemos quem é de Deus e qual mensagem é de Deus (Atos 17:11; 2Timóteo 3:16,17; Hebreus 4:12; I João 4:1-3). Não precisamos dos dons extraordinários de sinais hoje para confirmar a mensagem. O espírito santo ainda ajuda-nos hoje a pregar, mas, essa ajuda não é pelos dons extraordinários. O espírito santo de Deus, age hoje pela sua graça e pela sua operação de despertamento, de convencimento, de iluminação e de regeneração pela Palavra de Deus no coração dos que serão salvos. Portanto, o tempo útil dos dons e sinais foi relativamente curto.
Perguntas
: Para que também foi útil os dons do espírito? Para que mais? O que foi completado a fim de que os dons não mais fossem necessários? De que forma nos ajuda hoje o espírito santo? Côo age hoje o espírito santo sobre os crentes?

13) O fruto do espírito santo é para todo Cristão continuamente (Romanos 8:9,14; I Pedro 4:10). O fruto do espírito santo permanecerá enquanto se tiver o espírito santo. Manifestações do fruto que são somente necessários para nós até a transformação (fé, esperança, temperança) cedem a sua importância às manifestações do espírito santo que são eternas (amor, gozo, paz). A duração do fruto do espírito santo, é eterna.
Perguntas
: Para quem é o fruto do espírito? Por quanto tempo? Quais frutos de espírito são temporais e quais são eternos?

14) A duração dos dons extraordinários sendo curta e a do fruto do Espírito Santo sendo eterna revela uma diferença entre eles. Os dons extraordinários são inferiores ao fruto do Espírito quando considerado o tempo útil de cada um. Entendendo a duração dos dois podemos entender que o amor é “mais excelente” que os “melhores dons” (1Coríntios 12:31-13:13).
Perguntas
: Em que outro sentido os dons espirituais são inferiores ao fruto do espírito? Como podemos entender o por que do amor ser mais excelente que os melhores dons?

Continua...

Escola do Ministério
Igreja de Deus (7º dia) em São Paulo